segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Importância da água-leitura multimidial

Prática Leitora Multimidial

Público-Alvo: Pré-adolescentes dos Anos Finais do Ensino Fundamental (6º a 9º Ano)
Tema gerador: Água
Objetivo: Propor leituras diversificadas que possibilitem momentos de reflexão sobre a importância da água, visto que é um recurso não-renovável e os problemas relacionados a ela nos preocupa e nos desafia a ter um consumo mais consciente.

Materiais e Recursos:
  • Leitura de textos literários:
Crônica: A água nossa de cada dia, de Maurício de Sousa
Poesia: A água e o pescador, de Lúcia Maria de Barcelos Santos
  • Leitura de música: Planeta Água, interpretada por Sandy e Júnior
  • Leitura de vídeo: clip da música Planeta Água.

Etapas Propostas:
1)      Propor a leitura do poema: A água e o pescador, para posterior debate sobre o que a autora quis transmitir sobre a água e a importância dela na vida dos pescadores.

A água e o pescador
Ó água pura e tão mansa,
Com servidão a regar,
O chão aonde descansa
Aquele nobre pescador,
Que veio até mesmo antes
De o sol levantar,
Buscar os peixes que estavam
Em tua cabeceira, a flutuar.

Das tuas margens extraiu
O seu merecido sustento,
E depois ele sorriu,
E, em sua canoa seguiu,
Ajudado pelo vento.

E tu, ó água tão pura,
Que também lavas as almas,
Já imaginaste quanta ternura
Por ti, tem o pescador?
Meditando em noites calmas,
Reconhece o teu valor.
Ás vezes, só tem a ti.
No exato momento: ali,
És tu, o seu único amor!

E é num ato de paixão,
Que para ti, se declara...
Mira a tua amplidão,
Que a um espelho se iguala,
E te abre o coração.
São dois amantes, então,
Sozinhos, na escuridão,
Num trocar de confidências,
E, no afã dessas urgências,
Até s coruja se cala!

SANTOS, Lúcia Maria de Barcelos. Sol de Itapuã. Porto Alegre: Evangraf, 2005.

2) Propor a leitura da crônica: A água nossa de cada dia e organização de grupos para a confecção de cartazes sobre como evitar o desperdício de água.

Crônica 231- “A água nossa de cada dia”
Hoje de manhã, enquanto levava meu filho para a escola, assisti a diversas cenas de desperdício.
Rua após rua, homens e mulheres usavam mangueiras para lavar calçadas e carros com jorros e jorros de água potável.
Nos primeiros casos cheguei a diminuir a velocidade do meu carro para sinalizar aos dissipadores que não deveriam estar fazendo aquilo. Mas eles olhavam, sem entender o que eu queria passar com os gestos... e continuavam com as torneiras abertas.
Nos casos seguintes, desisti.
Só olhava, desolado, toda aquela água preciosa escorrendo pela calçada, pelas sarjetas...
Se voltar a percorrer o bairro nesta bela manhã de abril provavelmente vou surpreender mais dissipadores em ação.
Talvez já lavando carros, mais pátios e calçadas.
E vou, de novo, ficar triste com o desperdício escancarado, explícito, irresponsável.
O que fazer para que nós, nossos filhos e os filhos de nossos filhos tenham água de boa qualidade e em quantidade no futuro?
Acho que, para começar, falar com as crianças.
Se os adultos dão lições de desperdício, as crianças podem, no tempo, reverter o processo.
Enquanto crianças, podem entender melhor a necessidade de preservamos nossos recursos naturais. Água, inclusive.
Quando crescerem, vão substituir os adultos insensatos de hoje já com atitudes corretas no cuidado com o meio ambiente.
Longe de mim a idéia de transformar quem quer que seja em vigilante, patrulheiro, inspetor de recursos naturais.
Também seria insensato. Em alguns casos até perigoso.
Tem gente que não aceita críticas.
Mas se cada um de nós pudesse passar aos filhos, às crianças, em geral, propostas, idéias e conselhos para buscarem a economia, a racionalização do uso da água, teríamos um início de caminho já sinalizado.
E enquanto crianças e jovens vão se conscientizando, vamos pensando, num modo de chegarmos até os dissipadores adultos com orientação e informações.
Pra começar, à volta da escola, já vou falando sobre o assunto com meu filho.
De novo, porque lá em casa o assunto já é velho e conhecido.
Mas bons conselhos podem ser repetidos... e acumulados.
E cuidados com nossos recursos naturais deveriam merecer até mesmo algum tipo de saudação. Assim, como dizemos bom dia, boa noite, até logo, poderíamos começar a dizer: salvou água, hoje? apagou a luz que não está usando? salvou uma árvore? pensou nas crianças que não tem água para beber?...
Pode parecer meio dramático. Mas antes um dramático falado do que sentido.
Enquanto é tempo.
27.04.2001
Disponível em:www.monica.com.br/mauricio/cronicas/cron231.htm
Acesso em : 25 janeiro de 2011


3) Os alunos assistirão ao clip da música: Planeta Água e após criarão formas de apresentação para um show de talentos, sendo que cada um poderá apresentar o que quiser: desenhos, pinturas, dança, música, teatro, etc. desde que o tema seja a água. Esta mostra de talentos dos alunos será apresentada para alunos dos anos iniciais.

Planeta Água

Sandy e Junior

Composição: Guilherme Arantes

Água que nasce na fonte serena do mundo
E que abre um profundo grotão
Água que faz inocente riacho e deságua
Na corrente do ribeirão
Águas escuras dos rios
Que levam a fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população
Águas que caem das pedras
No véu das cascatas, ronco de trovão
E depois dormem tranqüilas
No leito dos lagos, no leito dos lagos
Águas dos igarapés, onde Iara "mãe d'água"
É misteriosa canção
Água que o sol evapora, pro céu vai embora
Virar nuvens de algodão
Gotas de água da chuva
Alegre arco-íris sobre a plantação
Gotas de água da chuva
Tão tristes são lágrimas da inundação
Águas que movem moinhos
São as mesmas águas que encharcam o chão
E sempre voltam humildes
Pro fundo da terra, pro fundo da terra
Terra, planeta água
Terra, planeta água
Terra, planeta água

4) Criação de panfletos informativos sobre a importância da água e maneiras de evitar o desperdício para que sejam distribuídos na escola e para os pais.
5) Feedback, com avaliação das atividades propostas, desenvolvimento das mesmas e participação de todos.

Um comentário:

  1. Caras alunas,
    Parabéns pela riqueza e criatividade do material elaborado para essa atividade!!!
    Um grande abraço,
    Maria Cristina

    ResponderExcluir